Promovendo uma mudança real – A Visão

Diante dos muitos desafios de hoje, que nos podem nos levar a um abismo, como podemos não ouvir a chamada e perceber esta grande oportunidade? Porque os desafios não nos levam necessariamente para um abismo; eles também podem levar ao céu. A escolha é sempre nossa; está sempre ao nosso alcance.
Yaron Barzilay, Diretor da Nova Acrópole na Índia

A conferência de hoje é já a terceira apresentação que a Nova Acrópole leva a cabo em Bombaím sobre a capacidade de empreender uma verdadeira mudança.

Este ano decidimos relacionar a ideia de “Verdadeira Mudança” com o conceito de “Liderança para um Mundo melhor”, atendendo a que a “Liderança” é extremamente necessária de modo a promover uma mudança positiva. Acima de tudo precisamos de nos liderar a nós próprios… antes de liderarmos os outros.

Não procuramos adoptar o sentido do dever, apenas para silenciar a nossa consciência por uns tempos. Pretendemos, na verdade, saber como conseguir uma mudança real e sustentável. Como podemos fazer as coisas melhor?

Portanto, precisamos olhar para isto de um ponto de vista filosófico inovador e ter a ousadia de falar sobre a busca da Verdade e Sabedoria, pois é igualmente vital na acção que compete ao filósofo e ao que se espera dele.

Se a filosofia é o amor á Sabedoria, também é amor ao Bom, ao Belo e ao Justo como afirmava Platão e outros filósofos. “Alcançada a Verdade, a Beleza e a Bondade surgirão em ti” disse Mahatma Gandhi.

Será que se pode procurar o Bem sem se Fazer Bem, sem Ser Bom?

Há 60 anos, foi esta a visão do Prof. Jorge Angel Livraga, fundador da Nova Acrópole, falando de um Mundo Novo e Melhor, através de novos e melhores Seres Humanos. Para muitos homens e mulheres ainda hoje continua a ser uma inspiração viva.

“Conhece-te a ti próprio” é um princípio fundamental de Filosofia. É sobre a descoberta do Eu, do Mundo à nossa volta. É sobre interioridade, compreensão, finalidade, alegria, ética e acção correcta. É por isso natural que liguemos a ideia de atingir uma mudança real ao 150º aniversário de Mahatma Gandhi, que será realizado em Outubro de 2019. Quem mais pode representar melhor a ideia de Liderança na procura da Verdade? 

Quantos abertamente partilharam connosco as suas experiências pessoais com a Verdade? Quantos líderes falaram sobre as suas próprias vidas como uma mensagem que querem deixar aos outros?

Na Índia as Upanishads continuam a relembrar-nos:

“Apenas a Verdade triunfa.”

Mahatma Gandhi é peremptório ao afirmar:

Apenas a verdade perdurará, e tudo o resto será varrido pela maré do tempo“.

Podemos pronunciar a palavra sustentabilidade sem nos referirmos à realidade como uma verdade camuflada? 

Numa época em que “a pós-verdade” e as “fake-news” se tornaram palavras comuns, torna-se razão bastante para se justificar falarmos sobre a necessidade de uma “mudança real” baseada na busca da “Verdade”, numa filosofia do que é real.

Colóquio de Yaron Barzilay, Pierre Poulain e Fernand Schwarz na conferência “Empowering Real Change – Leadership for a Better World”, em Bombaím, na abertura das comemorações do 150º aniversário de Gandhi.

Um verdadeiro rumo é necessário… a procura por uma visão mais abrangente. Talvez isso não nos livre de cometer muitos erros. Mas se a nossa procura for sincera, estaremos prontos para aprender e para nos corrigirmos. É precisamente por este motivo que olhamos para Gandhi como uma fonte de inspiração, de “Liderança” para um “Mundo Melhor”, exactamente como ele foi para tanta gente na Índia e em todo o Mundo.

Na conferência de hoje queremos aprender com os nossos maravilhosos oradores, eles próprios líderes e impulsionadores de mudança em várias áreas.

O que é necessário para fazer uma mudança positiva? 

O que é que eles aprenderam com a sua experiência pessoal?

Não só o que é necessário fazer… mas talvez muito mais, o que é necessário ser, o que cada um necessita ser?

Como ambicionar e inspirar uma mudança positiva e sustentável à nossa volta?

Qual poderá ser a melhor abordagem?

Iremos concluir a conferência de hoje aprendendo que a Nova Acrópole deseja partilhar, através dos seus associados em mais de 60 países, com cerca de 500 centros espalhados pelo mundo e muitos milhares de voluntários e participantes. Gostaríamos de convidar todos para nos acompanharem neste aniversário especial do nascimento de Mahatma Gandhi, seguindo o seu relevante exemplo de liderança filosófica, tão necessária no mundo actual.

É inevitável a necessidade de mudança do nosso mundo. Nós necessitamos dessa mudança. Nós próprios temos de mudar. Muitos estão cientes disso.

Mas como é que isto se pode alcançar? Com uma mudança social, educativa ou económica? 

Será que é preciso legislar de modo mais restritivo para preservar a natureza, os animais, o clima para atingir um equilíbrio ecológico mais aceitável?

Será que tudo isto será suficiente?

À medida que a variedade de soluções surgem, parece que a lista de desafios aumenta!

Poderá o mundo ser um lugar melhor sem que cada um aspire ser melhor? Hoje em dia temos ao nosso alcance meios como nunca antes existiram. Mas, apesar de tudo isto, nem a fome nem a doença desapareceram do nosso mundo e muito menos a ganância.

É óbvio que o progresso e a tecnologia não servem necessariamente causas justas. Nós estamos cientes do crescente poder da tecnologia, da inteligência artificial, da biotecnologia e dos sistemas de recolha de dados. Estes são meios que podem na verdade ajudar a humanidade a avançar, mas também representam um grande perigo que se torna mais real na ausência de vigilância, de responsabilidade e na falta de ética.

Poderá o mundo ser um lugar melhor sem que cada um individualmente aspire ser melhor?

Será que é possível uma mudança positiva sem uma mudança do Homem, da sua consciência, da aproximação à sua interioridade e ao mundo à sua volta?

Mesmo esse caminho no sentido de uma mudança positiva, a necessidade de discernir sobre o que é correcto e o que é menos correcto, parece ser hoje rejeitado.

Há uma negação generalizada sobre a existência da Verdade, de uma realidade Universal que é inclusiva e objectiva a que temos de fazer referência de modo a construirmos estruturas sustentáveis; num mundo tão fortemente bombardeado e assoberbado pela quantidade de informação e estímulo, com uma constante aceleração e movimento, parece quase natural adoptar uma atitude de indiferença em relação ao que lemos, ouvimos ou vemos; é muito fácil desenvolver uma apatia generalizada em relação ao mundo que nos rodeia, onde as tragédias reais da vida se misturam com o entretenimento e as fronteiras entre o real e a ficção se diluem.

Um mundo sem Verdade é um mundo à deriva, sem significado, sem objectivos e sem valores concretos. Um mundo assim é incapaz de lidar com crises. Ou talvez, pelo contrário, amplifica-as e pode até ser a causa principal da existência das mesmas.

Se conseguirmos descobrir a principal causa das crises que afectam o Homem, também é necessário ter presente que dentro de nós reside a solução, e que temos a capacidade de nos transformarmos naquilo que gostariamos de ver no mundo. O objectivo é, portanto, o renascimento do Homem.

Este é exactamente o modo de vida filosófico: uma filosofia viva que é expressa na acção e no “ser”, e no bem que conseguimos assimilar em nós próprios. É um caminho em que as mãos agem em harmonia com o coração e com a mente, em serviço e devoção e numa aprendizagem incansável. A educação filosófica ensina-nos que essencialmente estamos em união com a vida… vida que pulsa através de todo o Universo. Nós próprios somos uma força activa de vida e por isso, também, uma força real de mudança e uma força de esperança.

Confrontados com os muitos desafios actuais que nos podem levar ao abismo, como é que podemos ouvir a chamada e perceber a grande oportunidade? 

Porque os desafios não nos levam necessariamente para o abismo; também nos podem conduzir ao céu. A escolha é sempre nossa; é um poder que está sempre dentro de nós. Ninguém nos pode tirar a capacidade de escolher, de responder e de nos responsabilizarmos pela história de que fazemos  parte.

A filosofia pode construir pontes entre o passado e o futuro. Proporciona uma verdadeira transformação do coração e permite a verdadeira passagem do egoismo para o altruismo assim como nos dá a capacidade de abraçar o outro.

 É urgente o desenvolvimento de uma melhor economia, da educação, da ciência, da tecnologia, do envolvimento político, da arte e da cultura e de ver a sociedade como um todo. Isto dar-nos-á um alento em todos estes aspectos vitais e conduzirá a uma revolução, porque uma revolução de percepção, atenção e objectivos é realmente necessária!

Filosofia, o amor à sabedoria, pode oferecer a possibilidade de mudança real dentro de nós próprios e no mundo; a possibilidade de renovação e renascimento. Pode transformar uma necessidade desesperada em gloriosa esperança.

Nas palavras de Mahatma Gandhi: “Quem procura a verdade, quem segue a lei do amor, não pode ter receio do amanhã.”

Como o principal herói de Platão na alegoria da caverna – Gandhiji – procura a luz do sol fora da caverna de sombras e ilusão, enquanto que ao mesmo tempo luta para ajudar os que ainda estão lá dentro. Isto representa o ideal filosófico-político no mais nobre sentido da palavra.

É interessante notar que talvez a frase de Gandhi mais conhecida globalmente: “Sê a mudança que desejas ver no mundo” nunca tenha sido dita por ele… por isso, aqui, não lha atribuímos (e não me ouviram dizê-lo). No entanto, é uma descrição muito adequada sobre o que toca tantos corações pelo mundo inteiro – uma inspiração de Gandhi – do que sobressai tão vincadamente dos seus pensamentos e acções. Arriscar ser a mudança que se deseja ver. Tão simples, e ainda assim, tão forte e correcto!

O nosso propósito, hoje, nesta conferência não é sugerir que se tornem seguidores de Gandhi… é de qualquer modo, uma decisão individual sobre o que seguir. Mas sim, nós queremos desafiar o espírito de ousar oferecer uma mudança. Mudar através do nosso exemplo pessoal, através da nossa própria vida, mudar em busca de uma liderança para alcançar um Mundo Melhor. Através do nosso painel de hoje, gostaríamos de explorar diferentes ângulos de abordagem em termos educacionais, sócio-económicos, ecológicos e filosóficos que vão para além de soluções inócuas. Procuramos uma atitude prática que considere uma mudança sustentável. Desejo a todos um dia maravilhoso, que disfrutem, cheio de inspiração.

Obrigado!

Deixe uma resposta