História Budista: o cão que tinha fome

Era uma vez um grande rei que oprimia o seu povo e era odiado pelos seus súbditos. Certa vez, o Thatagata1 visitou o reino e o rei quis muito estar com ele. 

Então, deslocou-se ao lugar onde O Abençoado2 se encontrava e perguntou: “Ó Sakyamuni3 podes ensinar uma lição ao rei, que o divirtalhe distraia a mente e o beneficie ao mesmo tempo?”

O Abençoado respondeu: “Vou contar a parábola do cão que tinha fome”.

Era uma vez um tirano muito perverso. Certa vez, o deus Indra, assumindo a forma de um caçador, desceu à Terra com o diabo demónio Matali, que apareceu sob a forma de um enorme cão.

O caçador e o cão entraram no palácio. O cão uivou tão tristemente, que todo o palácio estremeceu até às fundações.

O tirano ordenou que o caçador fosse levado até junto do trono e perguntou-lhe qual a causa de tão terrível latido. O caçador respondeu: “O cão tem fome”. Então, o assustado rei mandou que lhe trouxessem comida.

Toda a comida preparada no banquete real rapidamente desapareceu nas mandíbulas do cão. Ainda assim, ele continuou a uivar, uivava portentosamente.

Mais comida foi trazida e até os armazéns do rei ficaram ficarem esvaziadosvazios, mas em vão. O cão continuava a uivar. Então, o tirano entrou em desespero e perguntou: “Será que há alguma coisa que possa satisfazer a ânsia o desejo desta fera terrível desgraçada?”. “Nada o satisfará”, replicou o caçador, “nada, exceto talvez a carne de todos os seus inimigos”.

“E quem são os seus inimigos?” perguntou ansiosamente o tirano. O caçador replicou: “O cão continuará a uivar enquanto houver pessoas com fome no reino e os seus inimigos são aqueles que praticam a injustiça e oprimem os povos.”

O opressor do povo, lembrando-se dos seus atos vis, foi tomado pelo remorso e, pela primeira vez na vida, começou a ouvir os ensinamentos sobre a justiça, a retidão e a integridade.

Tendo acabado de contar a história, o Abençoado dirigiu-se ao rei, que empalidecera e disse-lhe: “O Tathagata é capaz de despertar os ouvidos espirituais dos poderosos. Assim, quando vós, grandioso grande rei, ouvirdes o cão ladrar, pensai nos ensinamentos do Buda e aprendereis a pacificar o monstro.”

Buddha. Public Domain

1Thatagata – É o epíteto mais usado pelo Buda para referir-se a si mesmo.
2O Abençoado –  O Buda.
3Sakyamuni – Sábio do clã dos Sakyas.

Deixe uma resposta